Você pode pensar que a realidade aumentada é uma tecnologia nova, mas é aí que você se engana. O marco inicial da realidade aumentada teve início em 1968 com Ivan Sutherland quando desenvolveu um sistema Head Mounted Display, abreviado como HMD, é um dispositivo usado na cabeça como um capacete, que possui uma pequena tela na parte da frente.

Porém, o conceito de realidade aumentada começou a ser utilizado somente na década de 90. Atualmente, a tecnologia de realidade aumentada evoluiu bastante e se espalhou em diversas áreas.

Suas aplicações são ilimitadas e pode ser usada em todas as áreas, tendo como limitador a imaginação. As aplicações mais comuns são vistas em jogos como, por exemplo, Pokémon Go, no qual o usuário utiliza o celular para ir à caça de pokémons (monstros) pelas ruas da cidade.

Esse tema é muito abordado em filmes de ficção e na maioria deles são utilizadas tecnologias de realidade aumentada que ainda nem existem no nosso mundo.

A realidade aumentada é uma tecnologia que veio para ficar e está cada vez mais próxima de você. Então, se você tem interesse em descobrir os mistérios desse mundo, vem comigo que eu te conto.

 

O que é realidade aumentada?

 

A realidade aumentada vem do termo em inglês augmented reality (AR), que é uma tecnologia que permite a combinação/inserção de elementos virtuais no ambiente real. Essa inserção é feita em tempo real através de pequenas telas dispostas próximo ao olho do usuário, proporcionando uma experiência de elementos digitais no mundo real.

O Google criou um óculos de realidade aumentada, chamado de Google Glass, que projeta  imagens em um prisma e essas imagens são refletidas para dentro da nossa retina. Essa imagem se sobrepõe ao ambiente, o que gera uma mistura entre os dois mundos, o virtual e o real.

 

Realidade aumentada na indústria 4.0

 

A indústria 4.0 tem como base IoT, Big Data e cibersegurança, onde os processos estão conectados permitindo a aquisição de dados instantânea, e assim a tomada de decisão em tempo real.

Na realidade aumentada, é possível fazer simulações em três dimensões (3D) de um  processo antes mesmo de sua verdadeira execução, possibilitando o treinamento da equipe e a detecção precoce de falhas e assim corrigi-las antes mesmo que aconteçam.

Temos também a utilização da realidade aumentada na área de manutenção e inspeção, onde tutoriais surgem de forma interativa ajudando o usuário nos passos a serem seguidos para realizar a manutenção das máquinas.

 

O que é realidade virtual?

 

Realidade virtual é um termo bastante utilizado, porém é diferente da realidade aumentada. A realidade virtual ou virtual reality (VR), termo em inglês, é um ambiente isolado criado por computador, onde o usuário interage com essa nova dimensão, sendo ela totalmente digital e não se misturando com o mundo real.

Como é o caso do Oculus Rift, um dispositivo de realidade virtual para jogos eletrônicos, onde o usuário fica imerso em uma dimensão gerada por computador. Existem diversos jogos que o utilizam, como é o caso do Project Cars, Adr1ft, Chronos, The Climb, Eve: Valkyri.

Existem também vários filmes que abordam o tema da realidade virtual como: Jogador número 1, Tron: O Legado, Matrix, entre outros.

 

O que acontece quando eu combino essas duas realidades?

 

Isso é o que chamamos de realidade mista, onde o universo virtual se mistura com o real diante dos nossos olhos, e o usuário pode interagir com os elementos das duas dimensões. Essa tecnologia ainda está em desenvolvimento e amadurecimento, mas possui um grande potencial e que provavelmente acarretará em grandes avanços.

Uma dispositivo que possui essa tecnologia nos dias atuais é o HoloLens, no qual o usuário utiliza óculos que possuem câmeras e sensores integrados que escaneiam o local e projetam na tela transparente objetos virtuais no mundo real, onde o usuário pode interagir com esses objetos.

 

Realidade aumentada abordada em filmes

 

Se você gosta de filmes de ficção científica, com certeza já viu o uso da realidade aumentada em muitos deles, então vamos falar de alguns deles e de como a realidade aumentada aparece. Alerta de SPOILERS.

 

Homem de Ferro

 

No primeiro filme do Homem de Ferro, temos o bilionário Tony Stark, que ao vestir a sua armadura, tem em seu capacete uma tela que mostra o ambiente juntamente com diversas informações sobre os elementos que estão nesse ambiente além de parâmetros da sua armadura.

Além disso, ele interage com a inteligência artificial J.A.R.V.I.S, que ele mesmo desenvolveu, através do elmo.

 

Homem de Ferro 2

 

Nesse filme Tony Stark descobre que o reator ARC (dispositivo que fica em seu peito e o mantém vivo, além de energizar a armadura) feito de paládio está o envenenando, por isso ele precisa substituir o material do núcleo, porém nenhum outro elemento conhecido era compatível para servir de substituto ao paládio.

Na cena, ele descobre uma maquete deixada por seu pai e pede J.A.R.V.I.S. para escaneá-la e projetá-la em 3D.

 

 

Após isso, ele remove da maquete projetada a vegetação e as coisas naturais e deixa somente prédios e pavilhões, com isso ele descobre que a forma com que os prédios e pavilhões estão organizados geram o formato atômico de um novo elemento químico que, coincidentemente, é um substituto compatível com o paládio.

 

 

Existem muitos outros filmes em que esse tema é abordado, como: Star Wars, Avatar, Vingadores, Transformers, entre vários outros.

 

O que esperar para o futuro?

 

Temos grandes expectativas quanto ao futuro da realidade aumentada, porém ela deve ser vista mais como uma combinação com a realidade virtual, a chamada realidade mista. Atualmente, os custos ainda não são muito atrativos, mas com o passar do tempo e o avanço das pesquisas, o preço tende a diminuir, de forma semelhante ao que aconteceu com os celulares.

Partindo um pouco para a imaginação de como a realidade mista pode vir no futuro, temos o filme Sword Art Online: Ordinal Scale lançado em 2017. No filme, existe um dispositivo denominado “Augma”.

O Augma é um dispositivo com um formato de fone de ouvido que se ajusta em torno de um dos ouvidos do usuário, possuindo uma parte que é equipada com uma lente que permite projetar imagens diretamente na retina dos usuários e outra na parte de trás da cabeça que é equipado com uma matriz que estabelece uma conexão (link) com o cérebro do usuário.

 

 

Esse dispositivo se comunica com drones que sobrevoam a cidade, e esses drones estão equipados com sensores que escaneiam o local, permitindo assim que o dispositivo altere visualmente o design do ambiente, além de inserir outros personagens digitais.

 

E aí? Preparado para entrar nessa nova realidade?

 

Cada vez mais a realidade aumentada e a realidade virtual estão se misturando com o nosso ambiente real e isso tende a se tornar mais comum com o passar dos anos. É bem provável que objetos físicos como mouse e teclado deixem de existir.

Então, é bom estar sempre atualizado para não ficar para trás nessa nova era tecnológica que já está batendo à nossa porta.

Se gostou, não se esqueça de deixar seu comentário e compartilhar com seus amigos para saberem mais sobre esse tema.