Para abrir uma empresa não basta só ter boas ideias, você tem que realizar análises, ter atitude para tirar as ideias do papel e ainda considerar um fator importante: os riscos de abrir um negócio.

Em um contexto de alta mudança e volatilidade do mercado, os riscos têm acompanhado a mesma proporção. Assim, empreender está diretamente relacionado a mensurar e monitorar os mesmos continuamente.

Mas então, como minimizar os riscos do novo negócio para potencializar os resultados?

Antes de responder a essa pergunta, você tem a oportunidade de realizar um curso gratuito de fundamentos essenciais da gestão financeira, importante para quem quer empreender. Para isto, basta clicar na imagem abaixo!

Aprenda agora, em três passos, como gerenciar os riscos de abrir um negócio e também como isso pode ser usado durante sua operação.

 

1. Identificação

 

O primeiro passo para quem quer minimizar os riscos de abrir um negócio é a identificação. Nesta etapa, é fundamental detalhar e registrar todos os riscos envolvidos no projeto, sendo eles positivos ou negativos.

Os riscos positivos incluem casos que aparentemente seriam bons para a empresa, mas que geram consequências negativas a longo prazo. Um exemplo seria o crescimento rápido de um negócio que não possui infraestrutura suficiente para atender as demandas.

Para realizar a identificação dos dois tipos de riscos de abrir um negócio podemos utilizar algumas fontes de informação:

 

  • Análises de casos: faça uma pesquisa de mercado, analise casos semelhantes para ter uma referência;
  • Conversas: faça contato com outros empreendedores ou mentores, assim como com seus possíveis clientes;
  • Matriz SWOT: ela é utilizada para analisar cenários internos e externos na empresa com base em 4 fatores: forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Acesse o artigo de como fazer uma análise SWOT no Excel para entender melhor sobre essa ferramenta.

 

2. Priorização

 

Nesta etapa vamos procurar priorizar, dentre os riscos de abrir um negócio, os que mais impactam. Para isso, podemos classificar os riscos e atribuir valores.

Uma ferramenta para auxiliar neste passo é a matriz GUT. GUT é a sigla para gravidade, urgência e tendência, e, na matriz, você pode classificar os riscos nesses três fatores e depois atribuir notas. Abaixo podemos ver como seria feita essa distribuição:

 

 

O resultado da multiplicação entre gravidade, urgência e tendência seria um indicador de qual risco deve ser abordado primeiro. Abaixo um exemplo:

 

 

O resultado obtido com a matriz GUT seleciona os riscos de abrir um negócio que são prioritários, ou seja, os que trazem maior impacto para quem quer abrir um negócio.

Vale a pena ressaltar que a matriz pode ser usada também para empreendimentos que já estão em funcionamento. Você pode usá-la para classificar os riscos identificados durante a operação.

 

3. Planejamento de ações

 

Após identificar e priorizar os riscos de abrir um negócio, é hora de planejar as ações que serão tomadas, buscando minimizar os impactos antes mesmo de começar um negócio.

As ações devem ter o objetivo de mitigar os resultados, no caso dos riscos negativos, ou potencializar, no caso dos riscos positivos. E podem ser ações de forma preventiva ou corretiva. 

De forma preventiva, estamos antecipando um problema e impedindo que ele apareça. Mas nem todos os problemas podem ser previstos e alguns podem surgir durante a operação ou não foram traçadas estratégias para atuar em cima deles. 

Para isso são feitas as ações corretivas, que são aplicadas logo após o problema ter ocorrido e devem receber uma atenção para que não voltem a ocorrer.

Para definir de forma completa os planos de ações, a dica é usar como ferramenta o 5W2H, que tem como base 7 perguntas que irão ajudar a tomar decisões para combater os riscos de abrir um negócio:

 

  • What (O quê?): qual objetivo ou meta de melhoria para o risco associado;
  • Why (Por quê?): motivo para a resolução desse problema ser importante;
  • When (Quando?): quando é um risco e qual o prazo para solucionar o problema;
  • Where (Onde?): a qual setor da empresa está relacionado o risco;
  • Who (Quem): responsáveis pela solução;
  • How (Como?): funcionamento do processo que envolve o risco;
  • How much (Qual o custo): quanto esse risco gera de gastos e quanto é necessário para resolvê-lo.

 

Na imagem abaixo, podemos ver como pode ser montada uma tabela com as perguntas:

 

 

Através de respostas objetivas a cada pergunta, é possível traçar uma estratégia para minimizar os riscos de abrir um negócio.

Os passos adotados aqui podem ser aplicados tanto para pequenas empresas quanto para os grandes empreendimentos, passando sempre pelos três estágios: identificação, priorização e planejamento de ações.

 

Pronto para tirar as ideias do papel?

 

Todos os empreendedores precisam monitorar e levantar quais são os riscos de abrir um negócio, para que seja possível criar cenários de tomada de ação. Quanto mais preparado para isso cada vez mais você estará apto para driblar os possíveis problemas e potencializar os resultados.

Mas existem outros fatores que você deve pensar antes de empreender, como montar um plano de negócios e elaborar seu MVP, entre outras coisas. 

Pensando nisso, temos um curso completo de formação empreendedora, onde você pode aprender todos os passos para abrir um negócio de sucesso! Clique no botão abaixo e confira!

E não se esqueça de deixar aqui nos comentários seu feedback sobre este conteúdo! Sua opinião é muito importante para nós, e, nos ajuda a estar sempre melhorando! Até a próxima!