A governança corporativa é uma forma das empresas garantirem aos seus investidores, acionistas e outras partes interessadas a sua boa gestão e transparência nas estratégias. 

Antes de comprar algo pela internet, por exemplo, você sempre confere a segurança do site antes de colocar os dados do cartão. Assim também funciona a governança corporativa como sinal de segurança de um investimento. 

Esse é um mecanismo que permite com que os investidores saibam com transparência quais são as estratégias de uma empresa antes de aplicar capital nela. Mas ela não traz benefícios apenas para os acionistas e sócios. 

Quer saber mais sobre quais as vantagens e níveis de governança corporativa? Confira este artigo e entenda como essa prática pode impactar nos seus investimentos e no bom desempenho de organizações. Confira nos seguintes tópicos:

  • O que é governança corporativa?;

  • Para que serve a governança corporativa e qual a sua importância?;

  • Impacto nas empresas;

  • Características da Governança Corporativa;

  • 4 Pilares da Governança Corporativa;

  • Quais são os stakeholders da Governança Corporativa? ; e

  • Governança corporativa e o impacto na bolsa de valores.

 

O que é governança corporativa?

 

A governança corporativa é um conjunto de boas práticas que norteiam como será conduzido o processo de gestão, tomada de decisões e transparência para as partes interessadas.

Em outras palavras, esse é um mecanismo regulador que busca a melhoria contínua dos processos da empresa por meio da interação do conselho administrativo, acionistas, diretores e quaisquer pessoas que estejam interessadas no desempenho da organização. 

Apesar de ser uma prática cada vez mais exigida para empresas negociadas no mercado financeiro, ela também é uma boa prática para instituições de capital fechado. 

As partes interessadas se diferem em ambos os casos, a governança corporativa é uma solução para a tomada de decisão mais assertiva, seguindo os parâmetros éticos e legais. 

Mas, depois de saber que é tão importante a sua prática, é preciso entender objetivamente para o que serve a governança corporativa. Por isso, confira no próximo tópico.

 

Para que serve a governança corporativa e qual a sua importância? 

 

A tomada de decisão dos gestores deve ser feita de forma a visar o bom desempenho das empresas no longo prazo. Idealmente, todos devem pensar dessa forma e fazer as escolhas que melhor impactem no futuro da organização. 

No entanto, na prática nem sempre isso acontece. A governança corporativa entra nesse processo como um sistema de regras e boas práticas que guiam as decisões. Além disso, também como forma de prestação de contas. 

Ao contrário do que muitos pensam, a finalidade da governança corporativa não é o aumento da burocracia. Mas, sim o aprimoramento contínuo dos processos de administração da empresa para que sejam sempre mais claros e imparciais. 

A melhora contínua é feita através de três processos principais: monitoramento, avaliação e direcionamento da organização e de seus gestores. 

Você deve estar se perguntando: qual o real impacto da governança corporativa nas empresas? Por isso, confira a resposta a seguir.

 

Impacto nas empresas

 

Quanto maiores os índices de governança corporativa, mais sólida tende a ser uma organização. Afinal, esse característica evidencia uma gestão justa e imparcial, com foco no desempenho da empresa. 

Isso faz com que ela seja melhor avaliada por investidores, por exemplo. As ações e debêntures, tipos de investimentos emitidos por empresas, são mais valorizadas quando há a prática da governança corporativa. 

De maneira semelhante para fornecedores, mostra o quanto é uma organização coerente e que cumpre com as suas obrigações. Para os clientes confirma a coerência da empresa com as leis e proporciona a melhoria contínua na qualidade dos produtos e serviços.

 

Características da Governança Corporativa

 

Como a governança corporativa busca instituir altos padrões de uma gestão eficaz, ela possui algumas características ditas como princípios da consolidação desse mecanismo. São elas:

  • Transparência: gestão clara para agentes internos e externos; 

  • Eficiência: decisões com a finalidade de possibilitar o crescimento sustentável da empresa;

  • Estado de direito: que permite a validação das normas segundo as leis de um estado democrático;

  • Participação: envolvimento dos mais diversos níveis hierárquicos da empresa e partes interessadas;

  • Orientação por consenso: com foco na agilidade e melhoria dos processos;

  • Responsabilidade: deve ser praticada por todos os colaboradores e membros da empresa; 

  • Igualdade: busca por decisões imparciais e justas, sem abusos de poder;

  • Prestação de contas: fornecimento de informações necessárias às partes interessadas.

 

4 Pilares da Governança Corporativa

 

No Brasil, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) é um órgão estruturado a partir de diversas instituições financeiras para promover e auxiliar no processo de evolução das boas práticas. 

Segundo o IBGC, existem quatro pilares fundamentais da governança corporativa e eles devem guiar a transparência interna e externa. Os pilares são:

 

Transparência 

As empresas possuem obrigação em divulgar algumas informações, principalmente dados financeiros. No entanto, a governança corporativa possui o intuito de fortalecer a confiança entre gestores das organizações e partes interessadas.

Por isso, no quesito transparência propõe-se que sejam divulgados dados e estratégias pertinentes mesmo que não sejam legalmente necessárias. Esse é um mecanismo de preservação e otimização do valor da instituição.

 

Equidade 

As hierarquias devem ser sempre respeitadas dentro de empresas. No entanto, a governança corporativa é uma maneira de incentivar e garantir tratamento justo e isonômico de todos os sócios e demais partes interessadas.

Isso não significa dar mais vantagens, mas sim levar em consideração de forma justa e imparcial os direitos, deveres, necessidades, interesses e expectativas de todos os stakeholders.

 

Prestação de contas (accountability) 

Dentro das organizações há pessoas, intituladas como agentes de governança, destinadas a cuidar e prezar pelas boas práticas de governança corporativa. A partir disso, cabe a elas as prestações de contas de clara e de fácil compreensão. 

É preciso que a divulgação de informações seja tempestiva. Isso garante que os tomadores de decisão e partes interessadas tenham em mãos todos os insumos necessários em tempo hábil para escolherem as melhores opções para a organização. 

Cabe a essas pessoas responsáveis todos os processos que envolvem efetivação da governança corporativa. Por isso, elas se responsabilizam integralmente as consequências de seus atos.

 

Responsabilidade corporativa 

Cabe também aos agentes de governança prezar pela viabilidade econômico-financeira da empresa. Isso significa sempre desenvolver estratégias para reduzir impactos negativos na organização, assim como potencializar oportunidades. 

É necessário ressaltar que a elaboração desse planejamento deve contemplar o curto, médio e longo prazo.

 

Quais são os stakeholders da Governança Corporativa?

 

Os stakeholders da governança corporativa consistem em todos os indivíduos que de alguma forma, em maior ou menor grau, são impactados pelas decisões dos gestores e pela estratégia. 

Os acionistas, investidores, conselho administrativo e gestores das empresas são uma das partes interessadas. 

Por outro lado, os clientes, fornecedores, colaboradores e credores também fazem parte do grupo de stakeholders.

 

Governança corporativa e o impacto na bolsa de valores

 

Cada vez mais as empresas de capital aberto que possuem bons níveis de governança corporativa são mais bem vistas e valorizadas pelo mercado. 

Um exemplo disso são as organizações dos Estados Unidos. A regulamentação no país foi instituída há anos e vem se provando eficiente de acordo com as condutas das empresas que a adotam, de acordo com pesquisadores da área como o Doutor Cláudio Rotta. 

Para que as empresas brasileiras também cheguem a esse patamar a IBGC disponibiliza códigos de conduta com as melhores práticas de governança corporativa, visto que o mercado tende a precificar melhor ações de empresas mais sólidas e transparentes. 

Mesmo que de forma indireta, a governança corporativa contribui para o desenvolvimento econômico através da expansão de empresas, criação de novos empregos e o fortalecimento da preocupação social e ambiental.

 

Ficou com vontade de investir nessas empresas?

 

É possível e provável que, visto os compromissos de transparência, equidade, prestação de contas, responsabilidade corporativa e os resultados evidentes de todos estes pilares, você tenha se interessado em investir nestas empresas.

Se esse é o seu caso mas você ainda não sabe como fazer isso ou não tem sobrado dinheiro para fazê-lo, faça agora mesmo o Curso de Gestão Financeira Pessoal!

 

Curso de Finanças Pessoais

 

Com ele você aprenderá a estruturar a sua vida financeira, sair das dívidas e entender melhor sobre investimentos para iniciar sua jornada em direção a sua prosperidade!