Uma das formas mais indicadas para manter a padronização da produção com qualidade é por meio das normas do ISO 13053. Para quem ainda não conhece ou não sabe a sua relação com o Seis Sigma, nós ajudamos no entendimento.

Ter um processo que garante a qualidade do resultado final é extremamente importante. O ISO é a organização internacional de padronização que possui diversas normas de referência para serem utilizadas em projetos na indústria, universidades e atividades profissionais.

Sendo assim, neste artigo você ficará por dentro sobre: 

  • O que é a ISO 13053;

  • O que é Seis Sigma;

  • O que é o conceito de BELTS;

  • A relação entre ISSO 13053 e Seis Sigma;

  • A estruturação da ISO 13053;

  • A ISO 13053 e as ferramentas Seis Sigma;

  • Como escolher projetos Seis Sigma com a ISO 13053.

 

O que é a ISO 13053?

 

A ISO 13053 é uma norma que classifica 32 fatores críticos para que a implementação do Seis Sigma obtenha sucesso. As especificações do Seis Sigma estão na parte 1 da norma que busca relacionar todos os fatores importantes na execução da técnica.

gerenciamento de qualidade, quando segue um padrão, além de garantir a eficiência do processo, recebe mais credibilidade por estar padronizado em normas internacionais. Por isso, é extremamente importante utilizar a ISO 13053 e o Seis Sigma em alguns projetos profissionais e acadêmicos.

 

Mas o que é o Seis Sigma?

 

Para entender melhor como a ISO 13053 e o Seis Sigma funcionam é necessário conhecer os dois conceitos.

Seis Sigma nada mais é do que uma metodologia com ferramentas que buscam monitorar de forma adequada a qualidade de uma empresa. Por meio dela, é possível detectar algum problema ou anomalia e propor medidas corretivas para evitar danos e prejuízos.

Ela é basicamente uma rotina incorporada à produção para detectar problemas e corrigi-los. A base do Seis Sigma é a metodologia DMAIC, que é dividida em 5 etapas:

  • Definição: define o que se espera do projeto;

  • Medição: obtenção de dados sobre o processo;

  • Análise: identificar a causa raiz do problema;

  • Melhoria (Improve): propor uma solução para cada causa raiz;

  • Controle: monitorar os resultados alcançados.

Além disso, o Seis Sigma possui os chamados Belts. Veja mais sobre eles abaixo:

 

Belts na ISO 13053

 

Em um dos capítulos da ISO 13053 é apresentado o conceito de Belts, que também é uma ferramenta Seis Sigma. Estes Belts são cargos de colaboradores de acordo com o avanço no conhecimento da metodologia.

Os Belts possuem diferentes níveis de conhecimento e é possível obter formação em cada um deles por meio de cursos com certificados reconhecidos internacionalmente.

 

Yellow Belt

Essa graduação representa o trabalhador com conhecimentos básicos, que se dedica a sanar problemas de ordem mais prática. A ISO 13053 mostra uma tabela referente aos requisitos mínimos de competência dos níveis, incluindo aí o Yellow Belt

Conforme esta tabela, um Yellow Belt deve manter o foco no cliente, sempre almejando bons resultados.

 

Black Belts e Green Belts

Esses profissionais podem liderar e executar projetos, pois possuem grande conhecimento de ferramentas estatísticas.

A diferença entre os dois está no nível de experiência, conhecimento das ferramentas e complexidade dos projetos. Isso porque o profissional Black Belt possui uma carga horária de treinamento maior, e com isso, maior experiência e conhecimento. 

 

Master Black Belt

Neste nível, o profissional é capaz de guiar e liderar uma equipe Seis Sigma, além disso, é o profissional que orienta os Black Belts.

Geralmente, esses profissionais dedicam-se exclusivamente a função, ademais precisam de uma carga horária de treinamento superior entre as outras titulações Belts

E, se você deseja entrar para o mundo dos Belts eu posso te oferecer uma ótima oportunidade: conheça o nosso curso gratuito de White Belt em Lean Seis Sigma e descubra se você quer mergulhar nesse mundo de conhecimento. É só clicar no botão abaixo:

treinamento de white belt em lean seis sigma

 

Como a ISO 13053 e o Seis Sigma se relacionam?

 

Por ser uma metodologia de sucesso, bem estruturada, quantitativa e disciplinada, o Seis Sigma passou a ser parte das normas internacionais, representadas na ISO 13053. 

Um projeto que deseja seguir os padrões da norma ISO poderá aplicar a metodologia Seis Sigma, sua base, estruturação dos colaboradores e ações do DMAIC.

O conjunto de normas no documento da ISO 13053 é muito maior do que o Seis Sigma, mas com certeza é parte importante dele. Veja abaixo como é estruturado todo o documento:

 

A estruturação da ISO 13053

 

Este é um documento dividido em duas partes. A primeira possui 14 capítulos em que os três primeiros representam as considerações iniciais. A partir do quarto, fica dividido da seguinte maneira:

  • Capítulo 4: fundamentos de projetos Seis Sigma dentro das organizações;

  • Capítulo 5: medidas Seis Sigma;

  • Capítulo 6: colaboradores e seus papéis no Seis Sigma;

  • Capítulo 7: competências mínimas exigidas;

  • Capítulo 8: requisitos mínimos de treinamento;

  • Capítulo 9: priorização e seleção de projetos;

  • Capítulo 10: metodologia DMAIC;

  • Capítulo 11: metodologia do projeto Seis Sigma e ferramentas utilizadas;

  • Capítulo 12: monitoramento do projeto;

  • Capítulo 13: fatores críticos de sucesso de um projeto Seis Sigma;

  • Capítulo 14: infraestrutura Seis Sigma dentro de uma organização.

 

A ISO 13053 e as ferramentas Seis Sigma

 

Como pode ser visto pelos títulos dos capítulos, a metodologia Seis Sigma foi incorporada à ISO 13053. Ainda na segunda parte do documento, podemos encontrar definições das ferramentas Seis Sigma utilizadas nos processos.

  • Fluxograma de processo: forma de acompanhar a evolução de um determinado processo;

  • Estatísticas descritivas: dados extremamente relevantes sobre os indicadores de qualidade;

  • Gráfico de Gantt: demonstra visualmente o avanço das atividades de um projeto;

  • Capacidade/desempenho: análise de cada processo de forma individual, forma minuciosa de detectar possíveis problemas.

 

Como escolher projetos Seis Sigma com a ISO 13053

 

Para escolher projetos em que o Seis Sigma pode ser aplicado, basta você analisar a parte 1 da ISO 13053, onde você pode encontrar a lista de verificações que ajudam a identificar e dar prioridade aos mesmos. Veja abaixo onde a metodologia pode ser necessária:

  • Projetos com problemas relevantes e repetitivos;

  • Projetos com medidas, especialmente aquelas alinhadas com os negócios;

  • Projetos onde a satisfação do cliente pode ser aumentada;

  • Projetos onde a economia pode ser entregue de forma eficiente.

É importante ressaltar que o projeto deve ser concluído em um período inferior a seis meses. Mesmo com processos extremamente complexos, utilizar as normas da ISO 13053 e a metodologia Seis Sigma se faz necessário somente neste período.

 

Seja um profissional certificado! 

 

Toda a estruturação da norma é altamente eficaz e dá oportunidade para colaboradores se empenharem em cargos diferentes, com total responsabilidade e organização em prol de um projeto de sucesso.

Aplicar a ISO 13053 e entender mais a fundo a metodologia Seis Sigma é essencial para desenvolver bons projetos em diversas áreas profissionais. 

Por fim, não deixe de dar uma olhada nos cursos para formação de Belts que disponibilizamos aqui na Voitto. Ser especialista em Seis Sigma e conhecer a fundo a norma ISO 13053 pode fazer toda a diferença em seu currículo.

Conheça o nosso pacote de especialista Green Belt em Lean Seis Sigma:

pacote especialista green belt em lean seis sigma

Gostou das informações? Não deixe de acompanhar o nosso blog para saber mais dicas interessantes para a sua carreira. Deixe também o seu comentário para sabermos o que você pensa sobre o assunto.