O bitcoin surgiu em 2008 pela proposta do desconhecido Satoshi Nakamoto. Na época, não se imaginava que a tecnologia blockchain por trás da moeda seria tão escalável. Atualmente, cadeia de blocos começou a ser usada para estruturar negócios e a principal dúvida que fica é: aplicar uma blockchain pública ou privada?

Quer a resposta para essa pergunta? Então, siga a leitura do artigo pois aqui você descobrirá:

  • O que é blockchain pública?
  • O que é blockchain privada?
  • Semelhanças e diferenças entre as cadeias de blocos públicas e privadas;
  • Vantagens e desvantagens entre os tipos de blockchain.
  • Quais os outros tipos de blockchain?

Vamos lá!

 

O que é blockchain pública?

 

Uma rede blockchain é considerada pública quando é aberta ao acesso de novos usuários, ou seja, qualquer um pode se tornar um nó da rede e contribuir para a validação de todas as transações.

 

E o que é blockchain privada?

 

Em uma blockchain privada, um grupo é responsável por controlar a entrada de novos nós. De certa forma, a cadeia continua descentralizada em termos de validação, mas existe um representante centralizado que qualifica os participantes da rede.

Só de pensar no nível de desenvolvimento por trás da blockchain dá até uma vontade de aprender a programar para desenvolver tecnologias como essa. Você também sente isso?

Interessante, porque temos um curso de fundamentos essenciais para Python, que ensina as principais estruturas da linguagem para a resolução de problemas do dia a dia, além de ensinar técnicas para análise de dados.

Já que você sentiu a vontade de aprender a programar, então é uma boa ideia fazer esse curso, não acha? Então clique no botão abaixo, se inscreva em menos de 1 minuto e volte para o conteúdo do texto!

Curso de python gratuito

Agora que você ganhou esse curso incrível, podemos continuar falando sobre os tipos de blockchains apresentados até o momento.

Veja as principais diferenças e semelhanças entre elas no próximo tópico!

 

Comparação entre as blockchains públicas e privadas

 

Tanto as blockchains públicas quanto as privadas possuem as seguintes semelhanças:

Ambas redes permanecem descentralizadas, possuem o mesmo mecanismo de consenso e conferem a alta segurança das informações e transações.

Então, quais as diferenças?

  • Permissibilidade;
  • Uso de criptomoeda;
  • Velocidade de transação;
  • Centralização relativa.

Na pública, qualquer pessoa pode participar da rede, enquanto na privada, existem dois mecanismos para a entrada de novos nós na rede.

Eles podem ser registrados por meio da votação entre todos os nós existentes na rede ou pela escolha de nós comissionados.

Além disso, na blockchain pública, existe um incentivo aos usuários que contribuem com as validações: criptomoedas! Esses usuários são comumente chamados de mineradores, pois estão trabalhando para criptografar dados em troca de pequenas frações de moedas virtuais: esse é o processo de mineração.

Em blockchains privadas, comumente não existe esse incentivo.

Por fim, como o número de nós na cadeia de blocos privada é menor, as transações demandam menos tempo para serem registradas. Diferentemente das cadeias públicas, com milhares de participantes.

Para você ter uma ideia, o bitcoin é a blockchain pública mais popular e suporta apenas 4 transações por segundo (TPS). Imagine essa moeda sendo utilizada no mundo todo e operando nessa velocidade! Parece problemático, não é mesmo?

Para resumir essas diferenças, confira a imagem abaixo:

Comparação entre blockchain pública e blockchain privada

Depois de ler esse tópico dá para sentir que tanto as cadeias públicas quanto as privadas possuem suas vantagens e desvantagens. Confira quais são a seguir, siga a leitura!

 

Vantagens e desvantagens das blockchains públicas e privadas

 

Primeiramente, os principais pontos negativos das blockchains públicas são:

  • Exigência de alta capacidade computacional;
  • Transparência;
  • Confiabilidade.

Quando falo de confiabilidade, estou me referindo a confiança intrínseca dentro da rede. Imagine centenas de usuários de várias partes do mundo se conectando para garantir a execução de uma transação financeira como o depósito do seu salário.

Você ficaria no mínimo desconfiado. Ironicamente quanto mais usuários, mais segura a rede tende a ser.

Já que falei de uma vantagem das cadeias de blocos públicos, vamos conhecer as outras:

  • Segurança;
  • Incentivo aos usuários;
  • Transparência.

Por que a transparência é uma vantagem e uma desvantagem? Porque depende do propósito da rede blockchain!

A rede Ethereum é uma blockchain pública na qual os contratos inteligentes são registrados. Em termos de acordos e contratos, é interessante que haja transparência, certo?

Já para a blockchain do bitcoin na qual todos os nós conseguem ver as movimentações das criptomoedas, a transparência não é tão interessante.

Agora, falando um pouco sobre a blockchain privada, temos que as principais desvantagens são:

  • Hierarquia de nós;
  • Descentralização questionável.

Em contrapartida, as vantagens das cadeias privadas são:

  • Mudanças mais rápidas;
  • Segurança (mesmo com número de nós reduzido);
  • Baixo custo.

Seria legal se houvesse um tipo de blockchain que combinasse o melhor da cadeia privada e da pública…

Olha só, tem! São os dois outros tipos de blockchain, que você conhecerá no próximo tópico. Continue a leitura!

 

Outros tipos de blockchain

 

Além da blockchain pública e da blockchain privada, temos a blockchain híbrida e a semiprivativa. Conheça cada uma delas agora mesmo!

 

Blockchain híbrida

Além da cadeia de blocos pública e privada, existe a blockchain híbrida, também conhecida como blockchain de consórcio.

Nesse modelo, não existe a entrada livre de nós, muito menos a hierarquia entre os usuários. Todos os nós possuem o mesmo poder para a tomada de decisão dentro da rede.

 

Blockchain semiprivativa

Esse é um modelo privado no qual apenas usuários com requisitos pré-determinados (poder computacional é um exemplo de requisito) são aceitos na rede. Geralmente, esse tipo de modelo é recomendado para aplicações governamentais e para negócios B2B.

Diante de tantos tipos, fica a pergunta...

 

Qual blockchain escolher para uma empresa?

 

A blockchain pública pode ser utilizada, por exemplo, para criação de projetos livres como o desenvolvimento de aplicativos descentralizados (DApps).

Por outro lado, de acordo com Wellington Lordelo, gerente de Solution Marketing da Equinix, que para negócios, a melhor alternativa é a blockchain privada por causa da confiança criada dentro da rede por meio da permissão de acesso.

Já Regina Nori, especialista em projetos de planejamento estratégico de TI na IBM no Brasil, destaca que, em uma cadeia de blocos privadas, é possível fazer o controle de informações de caráter confidencial muitas vezes presente no ambiente corporativo.

 

Outra característica do ambiente corporativo

 

A blockchain pode ser utilizada para o registro e a confiabilidade de transações dentro de uma empresa.

Além de transações, o ambiente corporativo é conhecido pela inúmera quantidade de dados que precisam ser organizados e processados.

E sabia que você pode garantir sua vaga em uma empresa se for aquele profissional que consegue lidar com informações, sabe relacionar tabelas, como operar um banco de dados e utilizar tudo isso para tomar decisões estruturadas e estratégicas?

Quer saber como pode aprender isso? Por meio do nosso curso de introdução ao Power BI!

No curso você aprenderá, além do tratamento de dados, conceitos de Business Intelligence, conhecerá a interface do programa da Microsoft para análise de negócios e descobrirá como realizar análises em diferentes níveis de uma organização.

Não vai deixar essa oportunidade passar, certo? Tudo que precisa fazer é clicar no botão abaixo e qualificar-se para o mercado!

Curso de Power BI