Na década de 1980, a metodologia Seis Sigma tornou-se mundialmente conhecida quando passou a ser utilizada nos processos da Motorola e da General Electric (GE).

Quando essas empresas começaram a adotar o Six Sigma para  o aumento da competitividade no mercado da época, surgiu a seguinte dúvida:

É possível utilizar o Lean Six Sigma para o desenvolvimento ou para remodelar algum produto ou serviço?

Foi nesse contexto que surgiu o Design for Six Sigma, uma metodologia que tem como objetivo a compreensão exata de todas as fases de um projeto. Evitando a necessidade de um retrabalho para futuras correções.

Quer aprender sobre essa técnica? Então vamos nessa!

 

Mas afinal, o que é Design for Six Sigma?

 

Design for Six Sigma ou simplesmente DFSS é uma metodologia utilizada para projetar um novo produto, da fase inicial até a construção.

As etapas do DFSS não possuem uma regra totalmente definida. A definição dos procedimentos que serão utilizados depende exclusivamente de qual tipo de empresa está adotando essa metodologia.

O DFSS traz  ferramentas estatísticas que tem por finalidade a redução de custos e a melhoria do produto. Mas o maior objetivo do Design for Six Sigma é agregar valor ao produto, através do bem-estar do cliente e inovações tecnológicas.

O nível de precisão esperado para processos que utilizam Design for Six Sigma é de no mínimo 4,5 sigmas (menor de 1 defeito em mil amostras). No entanto, esses números podem ser muito melhores, alcançando valores superiores a 6 sigmas.

Para obter níveis tão precisos é essencial que as necessidades e expectativas do cliente sejam completamente conhecidas antes do início de qualquer projeto. Ou seja, a voz do cliente é a prioridade do processo.

Um ponto importante sobre o Design for Six Sigma que deve ser levado em consideração é que o uso de forma demasiada das ferramentas desse método, sem o conhecimento do objetivo final e das oportunidades de melhoria, torna o Design for Six Sigma um modelo pouco eficiente.

 

Quando utilizar o Design for Six Sigma

 

A seguir irei listar 3 exemplos de quando o Design for Six Sigma pode ser aplicado, atendendo as expectativas.

1. Quando a empresa pretende iniciar um projeto ou processo do zero;

2. Quando o processo em questão já chegou em seu nível máximo de performance (process entitlement). Ou seja, quando determinado processo está operando em nível máximo e deseja-se o aumento dessa produção, outro processo mais eficiente deve substituir o antigo.

3. Quando a melhoria do produto ou processo através do método DMAIC, mantendo a tecnologia atual, já não supre mais as exigências estabelecidas pelo consumidor. Caso isso ocorra, um reprojeto deve ser executado.

 

Tipos de metodologia do Design for Six Sigma

 

 

1. DMADV

 

O método mais popular para implementação do DFSS é a metodologia DMADV. Ela tem o objetivo de aumentar o número de giro dos novos lançamentos de produtos de determinada empresa no mercado. Além disso, tem como ferramentas uma sólida base de dados estatísticos e de engenharia.

O DMADV é composto por 5 fases. Vamos aprender mais sobre todas elas?

 

Define: Essa etapa tem a função de definir os objetivos e as reais necessidades dos clientes. Nessa etapa também é definido o cronograma do projeto. É muito importante conhecer qual o tempo disponível para execução da tarefa, assim como em quanto tempo o produto será lançado no mercado;

Measure: Essa etapa é responsável pela medição e determinação das necessidades do consumidor, além da obtenção de dados de empresas concorrentes que são referência no mercado. Ou seja, aqui os requisitos do projeto são traduzidos em números confiáveis.

Analyse: Aqui são feitas as análises de todas as opções de execução do projeto. Tem a finalidade de definir e priorizar novas ideias e alternativas. É nessa etapa que iremos começar a criar o produto, através de protótipos e simulações computacionais;

Design: Tem o propósito de desenvolver o projeto de forma detalhada. Construindo protótipos muito próximos da versão final. Nessa fase são feitas produções em baixa escala a fim de reduzir os custos da produção. A revisão financeira e dos planos de fornecimento também são executadas nesta etapa;

Verify: A fase de verificar, como o próprio nome sugere, é responsável pela verificação do desempenho do projeto e se as necessidades do cliente estão sendo atendidas.Toda validação dos testes realizados na etapa de Design deve ser feitas aqui, para só então dar início à produção em larga escala.

 

2. IDOV

 

A metodologia IDOV (Identify, Design, Optimize e Validate) está entre as mais populares metodologias do Design for Six Sigma. É um processo composto por 4 fases: Identificar, Desenvolver, Otimizar e Validar.

Identify:  Essa fase se inicia com um desenvolvimento formal de um projeto que visa atender às especificações do cliente;

Design:  Aqui as especificações do cliente são transformadas em requisitos e alternativas funcionais. É feito um processo de redução nas lista de soluções, com intuito de filtrar as melhores alternativas;

Optimize: No processo de otimização é necessário o uso de um bom método de aquisição de dados, além de uma boa análise estatística.

Validate: A etapa de validação consiste na validação de todos os dados obtidos.

 

3. DCCDI

 

Essa metodologia se assemelha muito a DMADV, principalmente nas fases de definir, medir e desenhar. DCCDI é o acrônimo de Define, Customer, Concept, Design e Implementation.

A seguir, trago as 5 etapas para a execução dessa metodologia:

Define: Nesta etapa são definidos os objetivos e as reais necessidades dos clientes;

Customer: Aqui são finalizadas todas as análises feitas para atender o cliente;

Concept: As ideias de conceito são estudadas aqui. Nessa fase é feito o desenvolvimento e revisão das ideias selecionadas;

Design: Assim como  DMADV, o design é feito para atender todas especificações de projeto;

Implementation: Nesta etapa, a implementação está completa e a comercialização do produto ou serviço já pode ser efetuada.

 

4. DMEDI

 

A metodologia DMEDI utiliza uma abordagem criativa para a criação de novos processos, produtos e serviços. Prioriza a obtenção de benefícios que sejam competitivos. As fases do DMEDI são:

Define: Como em todas as metodologias anteriores, ela é responsável por captar os objetivos do projeto;

Measure: Aqui são feitas as medições de todos os parâmetros do projeto;

Explore: Dedicada a produzir o projeto viável para um novo processo;

Develop: A fase de desenvolvimento oferece um projeto ideal, com a finalidade de atender a todos os requisitos do cliente;

Implement: Na fase de implementação, o produto começa a ser produzido em larga escala.

 

E aí, está a fim de aprender mais sobre Lean Seis Sigma?

 

Os métodos Lean Seis Sigma e Design for Six Sigma são ferramentas de melhoria de desempenho que já provaram ser capazes de alcançar retornos financeiros incríveis.

No cenário econômico atual, profissionais que dominam essa área de conhecimento possuem um enorme diferencial.

Tenho certeza de que você não quer ficar para trás, não é mesmo?

 

 

Conhece os nossos cursos de capacitação Lean Seis Sigma?

Através deles você aprenderá tudo sobre esse programa de melhoria e como aplicar esses conceitos à sua empresa.

Confira nosso curso GRATUITO de White Belt em Lean Seis Sigma!

 

 

Caso já tenha feito o nosso curso de White Belt em Lean Seis Sigma, recomendo nossos cursos de Green Belt e Black Belt.

E aí, vai perder essa oportunidade?

 

 

 

Não se esqueça de deixar seu feedback aqui embaixo, sua opinião é muito importante para nós!