O tempo em que vivemos é marcado pelo dinamismo e pelas mudanças constantes, em que a todo momento novas tecnologias e novos modos de se gerenciar surgem.

Esse cenário de mudanças exige uma grande capacidade de adaptação e de “corridas de 100 metros” ao invés de maratonas. Para conseguir dar conta dessa realidade, surgiu a gestão ágil de projetos.

Ficou curioso? Continue lendo este artigo para saber como esse modo de se gerenciar projetos tem mudado o cenário organizacional das empresas. Ah, e de quebra você entenderá melhor a analogia do parágrafo anterior.

 

O que é gestão ágil de projetos?

 

Gestão ágil de projetos é a aplicação de práticas ágeis ao gerenciamento de projetos. Ou seja, em vez de pensar no projeto apenas como um todo, ele é dividido em pequenas partes que vão sendo feitas em prazos mais curtos.

Tendo como base o Manifesto Ágil, a gestão ágil é focada mais no comprometimento de todos os integrantes da equipe e menos nos processos, estimulando a participação e o engajamento do grupo. Outro ponto de destaque é a participação constante do cliente, garantindo assim que o projeto está de acordo com os requisitos do cliente.

Segue o Manifesto Ágil publicado em 2001:

 

Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o nós mesmos e ajudando outros a fazê-lo. Através deste trabalho, passamos a valorizar:

 

Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas

Software em funcionamento mais que documentação abrangente

Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos

Responder a mudanças mais que seguir um plano

 

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda.

 

Características da gestão ágil de projetos

 

Como você pode perceber, nesse modelo de gestão de projetos, algumas características se destacam, como o dinamismo e a participação ativa de toda a equipe. Além disso, existem algumas outras características que afetam a forma como essa gestão é feita.

Por exemplo, é possível priorizar alguns aspectos do produto antes de outros. Imagine que o produto seja um carro. Enquanto o motor é uma prioridade máxima, a pintura não é. Então, em um modelo de gestão ágil, entrega-se primeiro o carro com o motor e os componentes necessários para que seja testado e verificado se atende aos requisitos do cliente.

Baseado nessa forma de pensar que surge o conceito de MVP (mínimo produto viável - do inglês minimum valuable product), em que um produto é elaborado de forma que seja suficiente para coletar feedback do cliente sem os custos do produto finalizado e correndo o risco de ter que refazer alguma coisa.

Assim, uma característica muito importante da gestão ágil é realizar várias entregas, e assim coletar dados e continuar melhorando até chegar no produto final.

 

Diferenças em relação ao gerenciamento tradicional de projetos

 

No gerenciamento tradicional de projetos, é usado o guia PMBOK (Project Management Book of Knowledge) como padrão e referência mundial no assunto. Esse guia de boas práticas estipula áreas de gerenciamento, que regulam todo o projeto, desde o escopo até as partes interessadas.

Ou seja, ele define todo o ciclo de vida de um projeto, e embora esteja preocupado com as mudanças, não consegue lidar com elas com a mesma eficiência que as metodologias ágeis. Isso acontece porque o gerenciamento tradicional se comporta de forma linear, com uma estrutura bem definida.

Já na gestão ágil de projetos, a forma como se estrutura o projeto é mais flexível, permitindo que mudanças externas, como sugestões do cliente, sejam incorporadas ao projeto. É preciso lembrar que muitas vezes o cliente não sabe exatamente o que quer quando o projeto se inicia, por isso essa capacidade de adaptação é muito boa.

No que diz respeito a esse relacionamento com o cliente, essa é uma das desvantagens do modelo tradicional, pois nele o gerente de projetos tem contato com o cliente de uma forma bem limitada e esporádica.

Então, qual a melhor metodologia? Depende do projeto. Por exemplo, no projeto de construção de um edifício, o método tradicional é mais adequado, por se tratar de algo sem mudanças consideráveis.

Já para o desenvolvimento de softwares, o método ágil se comporta melhor, pois permite acompanhar diversas versões do programa, adaptando-as de acordo com o feedback do usuário.

Atualmente, é comum ver os dois sendo usados de forma conjunta, o que permite usufruir da organização proposta pelo PMBOK e pelo dinamismo da gestão ágil.

 

Principais metodologias de gestão ágil

 

Dentre as metodologias, as principais que podemos destacar são:

 

Scrum

 

A metodologia Scrum é a mais famosa da gestão ágil. Trabalha em pequenos ciclos, que são chamados de Sprints, além de ter uma estrutura de reuniões diárias para alinhamento. Ao final de cada Sprint, o cliente recebe uma entrega e seu feedback é registrado para continuamento do projeto.

 

Microsoft Solutions Framework (MSF)

 

É uma abordagem adaptável que visa a entrega bem-sucedida de soluções de tecnologia com maior rapidez, número reduzido de pessoas e menor risco, possibilitando resultados de maior qualidade.

O MSF ajuda as equipes a especificar diretamente as causas mais comuns de falhas em projetos de tecnologia, melhorando as taxas de sucesso, a qualidade da solução e o impacto nos negócios.

 

Extreme Programming (XP)

 

Traduzido livremente como Programação Extrema, esse método melhora um projeto de software de cinco maneiras essenciais: comunicação, simplicidade, feedback, respeito e coragem.

Os programadores extremos comunicam-se constantemente com seus clientes e colegas programadores, procurando manter seu design simples e limpo. Feedback é obtido testando o software a partir do primeiro dia. O sistema é entregue aos clientes o mais cedo possível e as alterações implementadas, conforme sugerido.

 

Lean

 

Isso mesmo, a cultura Lean está diretamente relacionada a gestão ágil de projetos, devido ao seu propósito de eliminação de desperdícios e melhoria contínua. Logo, embora seja bem mais antiga que o surgimento do conceito de gestão ágil, o Lean Manufacturing aplica desde o princípio características desse modelo de gestão.

Na busca por agregar valor ao cliente e eliminar desperdícios, entregas rápidas são feitas, o que está de acordo com os princípios ágeis. Outras características em comum é o conhecimento compartilhado por toda a equipe e o foco em construir qualidade de fato.

 

Participe conosco!

 

Agora que você já sabe o que é gestão ágil de projetos, interaja com a gente através do seu comentário, contando um pouco da sua experiência com gerenciamento de projetos e qual o método aplicado no local em que você trabalha?

Ah, e se ficou com alguma dúvida ou tem alguma coisa a acrescentar, deixe seu comentário também para que possamos melhorar nosso conteúdo ainda mais!