Se você está buscando entender sobre startup significa que tem um perfil empreendedor ou que deseja descobrir novas maneiras de transformar suas ideias em melhorias para o mundo.

Neste novo cenário de integração de tecnologias, tem crescido o número de pessoas que não se contentam em ficar na zona de conforto e acreditam que podem impactar, de forma positiva, com novas soluções e modelos de negócio.

Se você é criativo, tem predisposição ao desconhecido ou simplesmente quer entender melhor o que é uma Startup, vem comigo. Neste artigo, eu vou elucidar as dúvidas mais frequentes e também irei te contar como você pode começar a sua Startup.

 

O que é uma Startup?

 

O termo “Startup” significa, literalmente, começar algo, mas é principalmente usado para denominar empresas que estão em fase inicial de desenvolvimento de produtos e serviços de ideias inovadoras e que apresentam grande potencial de crescimento rápido.

As Startup são empresas jovens, que buscam novas soluções em várias áreas e ramos de atividade. Elas procuram, de forma geral, desenvolver um modelo de negócio escalável, repetível, flexível e inovador.

Muita informação? Relaxa, vou explicar estes termos agora mesmo.

Um modelo de negócios é o modo pelo qual a empresa gera valor para o seus clientes. Ter um modelo estruturado ajuda na visualização unificada de todos os elementos que compõe o negócio.

Não existe uma única forma correta, a procura de um modelo depende da sua proposta de valor e das características da empresa. Para te ajudar nessa parte, temos um artigo completo que ensina o passo a passo como utilizar o Business Model Canvas.

Sendo a Startup escalável significa que é possível atingir um grande número de clientes sem, proporcionalmente, haver grande aumento nos custos.

Repetível e flexível, está relacionado com a capacidade de entregar o mesmo serviço para um grande número de clientes em larga escala. Dessa forma, é possível minimizar os custos de expansão e potencializar as formas de gerar lucros.


 


 

Onde surgiu o termo Startup?

 

As Startups surgiram como forma de denominar as empresas novas e rentáveis. Esse termo se popularizou na década de 90, quando ocorreu um forte movimento de investimento em empresas de tecnologia chamado “bolha da internet”.

Nesse período houve um grande crescimento de empresas com ideias promissoras nos Estados Unidos, mais especificamente no Vale do Silício, sendo algumas delas o Google, Facebook e a Apple.

Todas essas empresas um dia já foram Startups, e devido a expansão dos investimentos na época, conseguiram financiamento e atualmente se mostram extremamente sólidas e atuantes no mercado.

Hoje em dia, muitos empreendedores são inspirados pela trajetória dessas empresas, mas vale afirmar que, apesar do sucesso que elas têm atualmente o início de uma Startup é sempre marcado por um cenário de incertezas.

 

Como conseguir investimento para minha Startup atualmente?

 

Se você quer tirar suas ideias do papel é preciso aprender sobre diversas áreas e também ter atitudes de coragem. No início, não se preocupe em desenvolver o modelo perfeito e sim em aprender e agir da forma certa.

Afinal, a jornada empreendedora não é trilhada sozinha. Ela é construída, principalmente, durante o caminho.

Se você já tem a ideia bem formulada e precisa de capital para expandir, abaixo vou mostrar formas de conseguir investimento.

 

Investimento próprio (Bootstrapping)

 

Bootstrapping significa fazer o seu plano de negócios contando com o próprio dinheiro. O caminho empreendedor não é fácil, e nem sempre podemos contar com alguém que acredita e investe no projeto logo no início.

Muitas vezes, quem quer empreender só consegue iniciar a empresa com recursos próprios. Então, a dica é começar aos poucos e ter, como principal objetivo, um modelo de negócio que tenha um bom retorno financeiro já com os primeiros clientes.

 

Investidor Anjo

 

O investidor anjo é geralmente um caçador de oportunidades. Ele investe seu próprio capital nas Startups que considera com alto potencial de retorno.

Geralmente, os investidores-anjo foram executivos ou empresários de sucesso. Sendo assim, além de agregar com a parte financeira, ele também fornecem mentorias, experiências e conhecimentos de mercado.

Além disso, esse tipo de investidor geralmente possui uma grande rede de contatos (networking), o  que faz com que a Startup possa conseguir o contato com fornecedores, executivos e até outros investidores.


 

 

Capital de Risco (Venture Capital)

 

Esse é um modo de investimento alternativo onde o empresário apoia a Startup pela compra de uma parte de suas ações com o objetivo de impulsionar o crescimento. Mais tarde, as ações são valorizadas, então ele revende sua parte e deixa a operação.

Se você almeja conseguir altos investimentos em sua startup, procure conhecer as Sociedades de Capital de Risco (SCR). Além de fornecer o capital, elas podem ajudar com mentorias para a sua ideia.

 

Crowdfunding

 

O chamado Crowdfunding (também conhecido por financiamento coletivo) é um dos modos para conseguir capital para prototipar suas ideias. Ele consiste em múltiplas fontes de financiamento, por meio de um grupo de pessoas físicas e também empresas interessadas na Startup.

Hoje em dia, existem plataformas online onde é possível criar campanhas e divulgar a Startup pela internet. Alguns dos principais sites são:  Kickante, Vakinha e Kickstarter. Procure conhecer as taxas e as particularidades de cada site.

 

Aceleradoras

 

Muito conhecidas no mundo das startups, as Aceleradoras, como indica o nome, tem o objetivo de elevar o estágio inicial até um mais avançado em pouco tempo.

Elas surgiram para ajudar empreendedores a estruturar e construir suas startups até que elas consigam se manter no mercado. Esse espaço, entre a criação da empresa e o tempo em que ela consegue se manter sozinha, é chamado de Break Even Point.

Em troca das parcerias, mentorias e networking do programa de aceleração, geralmente, as startups cedem um percentual de sua arrecadação para a aceleradora.

 

Incubadoras

 

As incubadoras fomentam apoio a projetos de negócios mais tradicionais. Em muitos países, inclusive no Brasil, as incubadoras são financiadas pelo governo como forma de incentivar o desenvolvimento econômico do país.

 

Mas aí você se pergunta, qual a diferença entre aceleradoras e incubadoras?

 

A diferença é que, em geral, as incubadoras funcionam com uma diretriz ou edital governamental, e as empresas são selecionadas de acordo com necessidades locais ou de um determinado setor.

 

Então qual é melhor?

 

Se o seu foco é uma startup escalável e repetível, a melhor opção é uma aceleradora. Porém, se o seu modelo de negócios for tradicional ou atender alguma necessidade de serviço e produto local, procure uma incubadora para te impulsionar.

 

Quais são os tipos de Startups?

 

Se a sua ideia ainda não está muito fixa e você precisa de uma orientação quanto aos tipos de startups que existem, abaixo vou falar um pouco mais sobre elas.

Tente identificar qual se encaixa melhor no seu perfil.

 

Small-Business Startups

 

Em tradução livre, Small-Business Startups significa Negócio Pequeno. Ela pode ser considerada como qualquer empreendimento que tenha alcance local.

Nesse modelo, o empreendedor tem foco em manter a si e sua família sem muita necessidade de expansão. As Small-Business Startups tem muita relevância na economia pois são as geradoras de empregos locais.

 

Scalable Startups

 

Essas são as Startups que nasceram para crescer rápido e possuem  modelos de negócios escaláveis.

Scalable Startups são financiadas com os capitais de risco e atraem investidores que não têm medo de apostar em ideias novas.

Além disso, existe a possibilidade de ser comprada por algum empresário, o que resultaria em grande retorno financeiro para os idealizadores.

 

Lifestyle Startups

 

Se a sua pegada é trabalhar fazendo o que ama, e não necessariamente focar em ficar rico, você pode empreender em uma Lifestyle Startup.

Elas são empresas que geram renda através de conteúdo como vídeos, sites, blogs, livros. As Lifestyle Startups são recomendadas para áreas de artesanato, culinária, viagens, música, entre outros.

 

Buyable Startups

 

Enquanto as scalable startups nasceram para crescer rapidamente, as buyable startups planejam a possibilidade de ser comprada por empresas maiores.

Um bom exemplo desse modelos são os aplicativos de celular como o Instagram, que foi vendido por 1,8 bilhão de dólares antes mesmo de começar a dar lucro.

 

Large-Company Startups

 

Quem já está no mercado a mais tempo precisa sempre pensar novas maneiras de inovar e, por isso, existem as Large-company startups.

Elas são iniciativas de empresas já consolidadas que usam os conceitos da Lean Startups para desenvolver novos produtos e serviços.

 

Lean Startup

 

Esse é um novo conceito que une a filosofia Lean com a gestão ágil de projetos, introduzido por Eric Reis no livro “A Startup Enxuta”.

Basicamente essa metodologia é baseada em três pilares importantes: Business Model Canvas, desenvolvimento ágil e MVP.

A Lean Startup deve identificar e eliminar etapas desnecessárias no processo de criar uma empresa.

Enquanto, nas empresas tradicionais, se demandava fazer planejamento detalhado, lançar um produto e depois vender, na Lean Startup pode haver experimentação e iterações antes mesmo de saber se o produto vai funcionar.

 

Quer aprender mais sobre empreendedorismo?

 

Se você deseja empreender, é preciso gerar ações que vão tornar seus sonhos realidade. Então, comece agora a se capacitar, com o nosso novo curso de Formação Empreendedora.

Preparamos um extraordinário curso para aqueles que querem desbravar os caminhos do empreendedorismo. Lembrando que o conhecimento que te trouxe até aqui não é o que vai te levar para o próximo nível. Clique e conheça.